Ads 468x60px

18/09/2012

Vida longa e saudável, a Bíblia fala sobre isso?



Nos dias de hoje as pessoas falam muito sobre ter um estilo de vida saudável. Escrevi um post em março do ano passado intitulado"O cristão autêntico cuida também do seu corpo"http://observateologia.blogspot.com/2010/03/o-cristao-autentico-cuida-tambem-de-seu.html onde abordei o assunto destacando a importância dos exercícios para a manutenção da saúde física. Disse que o corpo humano é obra de Deus e é templo do Espírito Santo (1Co 3.16). Cuidar dele portanto, é algo que honrará a nosso Criador e Redentor.

Mas há muitos que, para além dos benefícios que exercícios e boa alimentação produzem e que estão sendo divulgados abundantemente nos meios de comunicação, almejam viver muito mais anos de vida e com muita qualidade. Proclamam que a grande sacada é retardar os efeitos do envelhecimento do corpo humano. Dizem que é possível parar o relógio biológico, fazendo com que os agentes causadores da decadência física de nosso organismo ajam de forma muito mais lenta ou sejam restringidos.

Notemos alguns fatos. A expectativa de vida em 1800 era de 32-37 anos. Em 1900, passa a 45-48 anos. Nos últimos 100 anos, a expectativa de vida aumentou em torno de 145%. Os avanços da ciência, os conhecimentos da medicina, controle ou erradicação de doenças, melhores medidas sanitárias, alimentos mais saudáveis, consciência da importância dos exercícios físicos e outros fatores, proporcionaram que as pessoas hoje vivam muito mais que no tempo do Império Romano por exemplo, onde era comum as pessoas morrerem por volta dos 30 e poucos anos em média.

Agora, pesquisas científicas mais recentes projetam uma possibilidade de aumentar ainda mais a expectativa de vida dos seres humanos. Segundo o inventor e pensador norteamericano Ray Kurzweil (in VEJA, 15/06/2011), existem três pontes no caminho para uma vida longa:

1) Programa de Longevidade - Que envolve mudança de estilo de vida e de hábitos alimentares além de terapias de antienvelhecimento. Este programa já é realidade em nossos dias.

2) Revolução Biotecnológica - O entendimento é de que as descobertas sobre o código genético supostamente dariam ao ser humano a capacidade para "desligar" doenças. Essa revolução prevê o uso crescente de terapias genéticas, de células-tronco, de clonagem e de substituição de tecidos e órgãos. Isto tudo seria possível a partir do ano de 2023.

3) Revolução Nanotecnológica - É a "ponte" mais polêmica proposta pelo autor. Permitirá a reconstrução total do corpo humano com "nanorrobôs" (chips inteligentes de escala infinitesimal) capazes de substituir neurônios e células, destruindo infecções, revertendo doenças degenerativas e reescrevendo códigos genéticos. Nesse caso, ainda segundo o autor, toda esta tecnologia estaria disponibilizada a partir de 2045.

Ainda segundo a matéria citada na reportagem da revista, existem muitos cientistas envolvidos em pesquisas de biotecnologia no afã de promover o rejuvenescimento e a reversão do envelhecimento do corpo humano.

Pessoalmente, não vejo nada de errado nessas pesquisas se o objetivo for de proporcionar uma melhor qualidade de vida para todos e não para alguns somente. Se os suplementos vitamínicos, terapias, dietas, exercícios e tratamentos estiverem ao alcance ao mais comum dos mortais e não para um grupo de privilegiados.

Mas o que nos causa espécie é o que subjaz na mentalidade da maioria desses pesquisadores, de acreditarem de que poderão realmente acrescentar muito mais anos de vida às pessoas. De que conseguirão parar o processo de envelhecimento (alguns até querem crer de que finalmente vencerão a morte). Quanto engano!

A Bíblia fala sobre a brevidade da vida humana. No livro de Gênesis, o Senhor Deus determina que os dias de existência da vida do homem, chegariam no máximo a 120 anos (6.3). Isso ele promulgou no contexto da chamada de Noé e declarar-lhe de que enviaria o Dilúvio sobre a terra. Até aquele momento, os homens tinham uma existência realmente longa. Matusalém, avô de Noé, foi o homem que mais anos viveu, 969 anos.

Jó declara: "O homem, nascido da mulher, é de poucos dias e farto de inquietação. Sai como a flor, e murcha; foge também como a sombra, e não permanece" (Jó 14.1,2). Salmo 90.10: "Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando." E, no Novo Testamento, temos a palavra de Tiago que diz: "Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece" (Tg 4.14).

Como fica a ciência humana diante do testemunho bíblico, de que por causa do pecado a decadência e a morte entraram no mundo? Isto está registrado no texto bíblico e é amplamente experimentado por todos nós. Sabemos que os processos biológicos no corpo humano entram em decadência no decorrer dos anos. E como disse antes, nada contra as pesquisas que podem ajudar a ter uma melhor qualidade de vida. Ou, no campo da cosmética, produtos como Renew ou Cronos, (muito usado por tantas mulheres) que retardam ou suavizam as rugas faciais, são maravilhosos. Mas daí os cientistas acharem que conseguirão alongar os anos de vida do ser humano para muito além de 120 anos como categoricamente Deus determinara, é uma iníqua utopia e engano.

O que importa é que vivamos nossa vida aos pés da cruz de Cristo. Ele nos comprou com Seu precioso sangue. Ele ressuscitou. E por fim nos ressuscitará também naquele grande dia, o dia glorioso de Sua segunda vinda (1 Co 15.52; 1 Ts 4.13-17).

Quando recebermos a transformação em nosso corpo corruptível, para que seja incorruptível e imortal, ou, se tivermos partido antes da vinda do Senhor, nesse dia glorioso ressuscitaremos em um corpo transformado. Então teremos corpos não mais sujeitos à degeneração e imortais. Estarão banidos o envelhecimento, doenças e morte para todo sempre.

Isto sim é muito mais real e concreto do que vãs pesquisas que somente aumentam o orgulho humano e a rebelde independência do homem em relação ao seu Criador. Vida longa e saudável não pode ser nosso objetivo principal sobre a terra, muito embora o Senhor possa conferir a muitos de Seus servos, se Ele assim desejar, uma existência longa e abençoada. Não temos o controle de nossas vidas, ao Senhor pertence o controle de tudo.

Este que vos escreve gosta de correr. Este é meu esporte predileto. Faço porque sei dos benefícios. Redução do colesterol, do peso corporal excessivo, melhor funcionamento do coração, diminuição da pressão arterial. Procuro comer bastante frutas e verduras. E também alguns suplementos como a linhaça dourada triturada, alho em cápsulas e outros sempre que possível. Mas nem por isso vou me vangloriar de que através disso estarei vivendo muitos e muitos anos a mais. O máximo é que isso e outros procedimentos como dormir bem, lazer adequado, etc, proporcionam realmente uma melhoria nas condições de vida.

Mas sei, como muitos que conhecem a Cristo sabem igualmente, que viver para Ele é a melhor garantia de que vivemos bem. Porque viver no temor do Senhor e guardando os seus mandamentos é o dever de todo ser humano (Ec 12.13). Nesse mesmo capítulo de Eclesiastes, o envelhecimento do homem e sua natural decadência é apresentado de maneira poética (vv. 1-7). Assim, quando a chamada melhor idade chegar para todos nós, seria de suma importância que estivéssemos servindo fielmente ao Senhor, porque essa fase da vida realmente pode trazer e tem trazido muitas agruras e incômodos.

Pense seriamente a partir de hoje sobre isso. Que Deus abençoe você seja de que idade for, amém!

Nenhum comentário:

 

Sample text

Sample Text

Sample Text